Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dar tempo ao tempo!

por Okay ;), em 12.04.14

"A melhor maneira de ser feliz com alguém é aprender a ser feliz sozinho. Daí a companhia será uma questão de escolha e não de necessidade"

 

Quando é que sabemos que deixamos de gostar de alguém? Aliás deixamos de gostar desse alguém na realidade?

Outro dia disseram-me que só se esquece um grande amor com outro grande amor ao que eu respondi que antes de estar com alguém de novo quero primeiro aprender a ser feliz sozinha.

O certo é que estes meses tive de (re)aprender a estar sozinha. Deixei de ter aquela pessoa que me enviava msgs de bom dia e de boa noite, a pessoa com quem falava todos os dias, a pessoa com quem estava sempre que tinha tempo livre, a pessoa por quem sempre fiz mais do que por mim própria. Por isso, tive que ocupar o vazio que ele deixou. Comecei a ler mais, passei a estar mais com os meus amigos, voltei ao ginásio, ocupei-me das aulas e dos trabalhos para a faculdade. Por muito que me tentasse distrair nem sempre o conseguia, ou quase nunca o conseguia. Ainda hoje penso em tudo o que aconteceu, de bom e de mau. Mas uma vez disseram-me que um dia iria acordar e que quando desse por isso já tinha passado. Não acho que já tenha passado, mas já fiz progressos. Relembro estes meses todos que passaram e sei perfeitamente que estava uma tremenda confusão. Uma amiga disse-me: "Estavas um caco!". Sei que fiz muitos progressos e que aprendi muito com tudo isto. Agora é continuar em frente e ter a coragem de não olhar para trás. 

 

"Há um limite para o sofrimento. E és tu que o escolhes.

(...)

Há um limite para o sofrimento, repito para mim mesma, como um mantra. Há um limite para tudo na vida, menos para o tempo, porque o mundo não pára, nunca pára, aconteça o que acontecer, morra quem morrer. O tempo cura tudo, dizem. Eu sei que cura, mas ainda não cheguei lá. Vou demorar algum tempo, conheço-me. Ou talvez não seja o tempo, mas as circunstâncias que nos vão ajudando a sarar as feridas. Não sei, agora não consigo saber nada, só sei que tenho que reagir." - Margarida Rebelo Pinto

 

 (imagem retirada da internet)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48

Um dia...

por Okay ;), em 16.03.14

Porquê? Será? E se?

 

Nestes últimos meses estas foram as perguntas mais frequentes na minha vida.

Porque é que acabou? Porque é que acabou desta forma? Porque é que me fizeste isto? Será que ainda pensas em mim? Será que pensas em nós e em tudo o que vivemos? Será que sentes a minha falta? Será que se eu te enviasse uma mensagem iria mudar alguma coisa? Será que fui eu que fiz alguma coisa de errado? Será que algum dia irei encontar outra pessoa de quem eu goste tanto como gosto de ti? Será que algum dia gostaste de verdade de mim ou não passei de um passatempo para ti?  E se eu tivesse feito mais? E se…

A dúvida corrói-nos! Adormece e acorda connosco. Está connosco em todas as refeições que não conseguimos terminar. Está presente em todos os momentos que falam para nós e os nossos pensamentos estão longe. Não vai embora nem mesmo quando estamos ocupados.

Eu não tive resposta a qualquer uma dessas perguntas, não da tua parte. Tive que percorrer um longo caminho e que, ainda hoje o percorro, para responder a algumas dessas questões. Para encontrar alguma paz interior.  Para sarar algumas das feridas que provocaste e que deixaram cicatrizes. Cicatrizes bem presentes, visíveis aos olhares alheios dos mais observadores.

Não sou mais a pessoa que era há alguns meses atrás. Há coisas na nossa vida que nos marcam para sempre. E tu foste uma delas. Pelos melhores e pelos piores motivos.

Um dia serei capaz de voltar a pronunciar o teu nome. Um dia, ouvir o teu nome, irá soar igual a tantos outros. Um dia irei ser capaz de perguntar por ti. Um dia irei deixar de mudar o meu percurso só para não te encontrar. Um dia irei deixar de ter medo de te encontar. Um dia irei ser capaz de te encontrar e cumprimentar-te cordialmente. Um dia irei conseguir recordar apenas os bons momentos sem pensar no que poderíamos estar a fazer se estívessemos juntos. Um dia irei acordar e não serás o meu primeiro pensamento. Um dia irei entrar em todos os locais em que estivemos sem me lembrar de ti.  Um dia, não muito distante, irei finalmente esquecer-te e não passarás de uma recordação!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:23


That's me ;)

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D